Bro Code - Use a Tua Melhor Jogada. ✓

Definitivamente um dos piores almoços que já tive.



Definitivamente um dos piores almoços que já tive.
A culpa não era da comida, e sim da companhia, o que deixava-me ainda mais certa que meu melhor amigo perderia a cabeça dentro em breve.
Poderia ter resistido a comida de graça, mas seria uma barbaridade a raça humana e total desrespeito as pessoas que morrem de fome, seria incapaz de perdoar-me sempre que minha barriga ronca-se durante todos os dias que ainda restavam em minha vida. Mas bem que o idiota poderia ser mais comunicativo, não que fosse ser simpática com ele ou mostrar alguma gratidão por pagar o almoço, mas poderia ser menos meu pai, traduzindo “Fazer uma refeição em silencio, sem tirar os olhos de mim, o tempo todo”, ao menos meu pai só agia dessa forma quando tinha feito algo errado, e por mais que queira, ainda não tinha feito nada de errado com Ansel, mas tenho ideias, muitas ideias, algumas incluem comichão.
            - Demasiado encantado com a minha beleza? – Levei a palinha (canudinho-brasil) do milkshake a boca.
            - Um pouco!- respondeu sem nem se importar de disfarçar.
            - Todos os americanos são como tu?
            - Como assim, como eu?
            - Assustadores, arrepiantes, com comportamentos obsessivos! – Expliquei.
            - Não sou nada assim, principalmente a parte do obsessivo – resmungou.
            - És muito obsessivo com a minha cara – informei-o – Chega a ser muito assustador, até parece que não há nada mais interessante ao redor.
            - E não há! – Exibiu seu sorriso idiota e seus dentes brancos perfeitamente arrumados em sua boca.
            - Tu és aterrorizador! – Confessei – Com esse sorriso de palhaço de filme de terror, pior ainda – dei mais uma sugada na palinha.
            - Só tratas bem o Theo?
            - Nem sempre – coloquei uma batata frita na boca – Depende do dia – informei-o.
            - O que é necessários para “depender do dia”? – Levou seu copo de Coca-Cola aos lábios.
            - Começando, levavas-me a um lugar mais digno, tipo um restaurante e não uma cadeia de fast food – disse olhando a volto do lugar.
            - Só levo namoradas a restaurantes – justificou – Italianos de preferência.
            - Essa é a tua maneira de tornares-me tua namorada? – Cruzei os braços e encarei-o.
            - Está a resultar?
            - São os homens que se conquistam pelo estômago!
            - Não sei se esse é o teu caso – disse mexendo as duas sobrancelhas de forma estranha.
            - Tu precisas de tratamento – voltei a comer.
            - Gosto de ti, Ali!
E lá vamos nós!
            - Precisas seriamente evoluir teu vocabulário – revirei os olhos e ele riu.
Talvez pela naturalidade que sua risada sua, ou pelo som que ela produziu, podia até ser pela maneira que seu rosto se iluminou, por alguma razão que de alguma forma vinha dele, sorri.
- Uau! – E ele estragou tudo – Uau! – Seus olhos arregalaram – Esse é o primeiro sorriso que vejo – falou o óbvio.
- E o ultimo se continuas a fazer essa cara! – voltei a atacar as minhas batatas.
- Ok! – Penetrou seus olhos nos meus – É a coisa mais linda que já vi – desatei a gargalhar.
- A sério? – Disse entre as gargalhadas – Tu precisas de aulas, meu amigo – mordi meu hambúrguer continuando a rir levemente.
- Já pertenço a classe dos amigos! – Bateu palmas – Acho que não preciso de aulas, estou conseguindo o que quero – sorriu e bebeu sua cola.
- Não querendo magoar-te, sendo sincera isso não me importa – endireitei-me na cadeira desconfortável – Não somos amigos – esclareci – “Meu amigo” era só um complemento a frase, deixa-a mais divertida – olhava para mim como se nada que dissesse fosse importante – E já agora, explica-me como não és virgem usando “ a coisa mais linda que já vi”?
- Quem disse que não era virgem? – Olhava-me como se tivesse ofendido.
- Ansel, tu és amigo do Theo – dei-lhe a resposta mais óbvia para a questão.
- Tu não és virgem? – Apoiou suas mãos na mesa.
- Escalamos para perversidade? – Vinquei uma das sobrancelhas encarando-o.
- Curiosidade – apoiou a cabeça em suas mãos.
- Theo é meu melhor amigo – respondi-o terminando minhas batatas.
Seu sorriso estúpido foi novamente exibido, mas ao invés de irritar-me deixou-me embaraçada.
- Irei mostrar-te como deixei de ser virgem e como não tenho que usar as minhas mãos!
- Não faças-me rir muito – avisei – Será traumatizante borrar-me de mijo diante a ti – ignorei a informação extra que ele forneceu.
- Não prometo nada – disse colocando nossos pratos e bebidas ao lado – Dá-me as tuas mãos – obedeci-o – Tens que ficar calada! – Disse.
- Isso é fácil!
- Não desvia o olhar – ordenou segurando as minhas mãos.
- Vais hipnotizar-me, ou coisa assim? – Ri-me de quão parvo aquilo parecia.
- Fica quieta e olha para os meus olhos – disse levando uma de minhas mãos até seus lábios.
- Não abuses! – Disse removendo minha mão.
- Cala-te e fica quieta – voltou a segurar minha mão.
- Além de assustador é mandão! – revirei os olhos – típico psicopata americano!
- Alicia! – Resmungou.
- Ok, ok!
- Obrigada! – Sorriu.
Devia ter percebido que aquela jogada era mesmo das boas no momento que seus macios e quentes lábios tocaram nas costas da minha mão, mas como tenho tendências suicidas, deixei-me levar.



Nota da Autora.


Olá Pessoal!

Como estão?
Obrigada pelos desejos de melhoras, não esta a ser de todo mal, já que esta a fazer-me escrever muito.
Comentários Respondidos.
Vou colocar a Sinopse das duas próximas curtinhas para ver a vossa opinião.


Last Step

Ao fim de 6 anos voltar para o Texas não era o que Camilla desejava, mas a situação obrigava. Seu pai sabia como doma-la, só bastava uma oportunidade que a punha em suas mãos. As coisas para ela já não eram as mesmas, suas preocupações e prioridades tinham mudado, e quando seus pés pisaram sua terra natal, a vida mostrou-lhe que ela era apenas uma dançarina e que ela iria dançar aquela coreografia até o passo final.


Amando Amanda


Ela é o bom.
Ele é o mau.
Ela sorria.
Ele apreciava o seu sorriso.
Ela vivia.
Ele a via viver.
Ela não o conhecia.
Ele a queria.
Ela o ignorava
Ele a amava.

Gostaram?
Beijos.
 

You Might Also Like

13 comentários

  1. Gostei do capítulo! Que troca de palavras dos dois!
    Gostei do visual também. Desculpa o meu comentário mas dificultava um pouco a minha leitura.
    Então o nome dela deve ser sem acento.
    Gostei das sinopses :)
    Posta logo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quê isso? Ainda bem que informaste-me.
      Obrigada Beijos

      Eliminar
  2. Eu tive a ler os comentários. O meu nome é mesmo com acento. É Alícia e não Alicia. Se for Alicia (sem acento) estamos a falar do verbo aliciar (seduzir) e não de um nome próprio. Às vezes é erro meu não escrever o acento quando escrevo pelo computador/telemóvel (celular). Também não fico chateada se não escreverem o meu nome sem acento desde que usem letra maiúscula para não parecer que estão falando do verbo.
    Quero ver onde essa conversa vai levar!

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou fazer uma revisão e corrigir, mas já irei escrever da maneira correta.
      Beijos

      Eliminar
  3. essa de beijar a mão já tentaram comigo, as duas vezes tive que me esforçar muito para não rir na cara da pessoa

    ResponderEliminar
  4. Li o teu comentário e concordo. Se ela continuar assim não vi ficar com ninguém eheh!
    Gostei do que li e das sinopses também.
    Posta logo.

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  5. Gostei das sinopses! "Amando Amanda" que título! Muito bem pensado. Parabéns!
    A Alícia não quer apaixonar-se, mas acho que ainda vai acabar por ficar com o Ansel.
    Posta logo.

    Bjs :)

    ResponderEliminar
  6. Hey
    Gostei desse capítulo, finalmente a Alícia deu alguma chance de aproximação ao Ansel!
    Já usaram essa "jogada" de beijar a mão comigo, preciso dizer que fiquei vermelha de vergonha? Kkkk mesmo assim achei fofo, não esperava por aquilo.
    Gostei das sinopses!
    Amando Amanda .... já estou apaixonada por essa curtinha haha! Gosto muito desse modelo de sinopse, com frases contraditórias.
    Posta logo.
    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aleluia!
      Eu acho super romântico.
      Obrigada.
      Ainda bem :D
      Beijos

      Eliminar
  7. Kkk... Alicia mto fria..Kkk..ele só queria agrada-la. Kkkkk

    ResponderEliminar

Seguidores

2015-2016 © Sons da Alma. Com tecnologia do Blogger.