Bro Code - "É Tudo Sobre o Bro Code"

Nota da Autora Olá! Não tenho muito por dizer. Espero que estejam bem :D Eu cá estou! Vou ficar obcecada por livros nesse...



Nota da Autora

Olá!
Não tenho muito por dizer.
Espero que estejam bem :D Eu cá estou!
Vou ficar obcecada por livros nesses últimos meses, mas não se preocupem não abandonarei o Blog.
Espero que tenham gostado.
Beijos.



Bro Code - "É Tudo Sobre o Bro Code"



Estava certa de uma coisa no meio de tudo isso. Eu, Alícia, não estava apaixonada, por ninguém.
Nem por Theo e muito menos pelo Ansel, não sou como todas as raparigas que vemos nos livros um olhar carinhoso, ou um beijo de cortar o fôlego e estão totalmente de quatro pelo rapaz. É a coisa mais sonsa que existe, ainda bem que existem filmes infantis como “Frozen” que ensinam que isso de amor a primeira vista, ou beijo, no caso da Disney, canção, é uma tremenda parvoíce.
Como eu gostaria que tudo que o Theo disse a alguns minutos fosse também uma parvoíce. Não só surpreendeu-me como fez com que as enormes e fortes paredes da nossa relação rachassem. Não era a primeira vez que ouvia algo sobre os sentimentos dele por mim, porém era a primeira vez que eles saiam de sua boca.
Por imensas vezes que ele tinha dito que me amava, nenhuma era como aquela, era difícil aceitar isso, a dor que isso causava-me era absurda. Sentia um vazio cada vez que ele repetia tais palavra, só apercebi-me o quão tudo aquilo doía no instante que ele insinuou que a nossa amizade era o principio de algo mais profundo. Naquele momento ele arrancou de mim a pessoa mais importante para mim depois de meus pais, meu melhor amigo.
Despertei da minha viagem emocional com o som da campainha, meus pais não estavam em casa, por isso teria que levantar-me da cama e arrastar-me até a porta. Meus pais deviam ter arranjado um mordomo com o dinheiro que eles tinham poupado para a minha Universidade, que gastavam num cruzeiro por aqui a menina tinha o Q.I mais alto que Einstein.
Ao ver o seu rosto é que os fatos vieram logo a tona, eu tinha um encontro com Ansel e tudo que ainda tinha feito era vestir-me.
- Dá-me 15 minutos por favor – minha voz saiu um pouco rouca e baixa, enquanto ordenava gestualmente que entrasse.
- Tiveste a chorar? – Questionou impedindo-me de voltar ao meu quarto.
- Não, adormeci! – Foi a única coisa aceitável que pensei – 15 minutos e já saímos – sorri para ele.
- Acho melhor não sairmos. – Disse fazendo-me para no meio da sala três passos de distancia dele.
Podia sentir certa insegurança ou nervosismo nas suas palavras, e que não era exatamente o que ele realmente queria dizer, pois ele olhava para as suas mãos que esfregavam uma na outra. Ele conseguia ser um Ursinho até dando-me com os pés.
- Tu passaste dias persistindo que saísse contigo para agora dizeres-me isso? – Cruzei os braços irritada.
Mas o que se passa com os homens da minha vida. O que eu menos esperava diz que me ama e o outro que desde o primeiro dia que o vi não tira os olhos de mim desiste da nossa primeira saída oficial.
- Nós não podemos sair Alícia, lamento imenso. – Justificou incapaz de olhar para mim.
- Posso ao menos saber porquê? Por que até pela manhã tu estavas Super entusiasmado com isso – aproximei-me dele.
- Estava, é tudo que eu menos quero fazer agora – disse colocando suas mãos no bolso e encarando a carpete creme que cobria o chão da sala.
- Era suposto não acordar hoje e todos esqueceram de avisar-me – disse rindo sarcasticamente – Podes ser homem suficiente e olhar-me nos olhos e explicar-me o que te fez mudar de ideia? – Disse com meu corpo alguns centímetros de distância dos dele.
Suas íris de um castanho mais claros que o meu ficaram visíveis para mim, mostrando-me com mais clareza que ele estava nervoso, como se tivesse a ser forçado por alguma razão a estar ali dizendo-me aquilo.
Não custou-me perceber o que realmente estava o que enfureceu-me, se antes era apenas uma expressão dessa vez estou mesmo a referir-me na literal forma da palavra, eu irei “matar” Theodore, ao menos tentar arduamente irei.
- Não podes fazer isso por essa ilusão que ele agora chama de “amor” isso passa-lhe – expliquei.
- Alícia é a coisa mais certa a ser feita – explicou – Não posso fazer isso, ele é meu amigo.
- Pois, e se ele fosse realmente “nosso amigo” ele não agiria dessa forma, ele não sabe o que é amar do jeito que ele esta a dizer, ele só esta com ciúmes que tu roubes o tempo que passo com ele – expliquei sentando-me no sofá – Algo que nunca vai acontecer, ele é como um irmão para mim, não sei que raio está a passar-se? – Escondi meu rosto entre as minhas mãos – Porque ele esta a comportar-se dessa maneira?
- Porque ele ama-te, precisou apenas um empurrão para ele dizer-te o que ele sempre sentiu Alícia – esclareceu-me em quanto acariciava minhas costas numa tentativa para acalmar-me.
- É por isso que estavas sempre flertando comigo a frente dele?
- Eu gosto de ti Alícia, do tipo de gostar de sentir que um dia possa ser algo mais profundo mais eterno, mas ele já sente isso, ele sente aquilo que ainda não sinto – olhei para ele – Não posso fazer isso com ele.
- Mas eu não o amo dessa maneira – confessei.
- Mas tudo que sentes por ele é bem maior do que tu sentes ou poderás sentir por mim – exibiu seu sorriso, porém estava triste.
- Ele é um irmão e tu Ansel, és tudo menos um irmão.
- Ele também é um irmão para mim, e não sou o tipo de homem que quebra o Bro Code por uma paixão.
Pelos vistos finalmente me tornei a Hoe.
 

You Might Also Like

7 comentários

  1. Acho que já percebi a ligação entre o título da curtinha e o possível final da mesma.
    A Alícia vai acabar sozinha porque nenhum dos dois quer quebrar a "Bro Code".
    Espero que esteja certa!
    posta logo.

    Bes :)

    ResponderEliminar
  2. da friendzone para brotherzone, pobre Theo, pobre Alicia também, não vai dar para voltar como tudo estava

    ResponderEliminar
  3. Prevejo um final feliz para a Alícia...

    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. O Ansel fez bem, mas se ele gosta dela, ele tem que parar com essa coisa da Bro Code. A própria Alícia já disse que gosta do Theo como amigo.
    Acho que já deu para entender que sou mais "fã" do Ansel do que do Theo para namorar com ela!
    Posta logo.

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  5. Se a Alícia diz que só gosta do Theo como amigo, isso é o abismo! Se a Alícia diz que não gosta do Ansel, ela vai acabar sozinha! Apenas uma aposta minha para o fim da curtinha.
    Posta logo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  6. Oi oi
    Até tentei deduzir um final para a curtinha, mas não consegui. Mas vejo sentido nisso que as meninas falaram, da Alícia ficar sozinha no final...
    Achei muito fofa a atitude do Ansel nesse capítulo *-*
    Pensando bem... acho que criei uma teoria sobre o final.
    Posta logo, beijos!

    ResponderEliminar
  7. Acho que Alicia deve dar uma distancia ao Ansel, para não feri-lo. Por mim ela já tem uma preferência o Theo

    ResponderEliminar

Seguidores

2015-2016 © Sons da Alma. Com tecnologia do Blogger.