Forbidden - Ínicio

Adetomiwa No exato instante que meus olhos encontraram seu corpo,



Adetomiwa



No exato instante que meus olhos encontraram seu corpo,
no momento que o som da sua voz se fez ouvir em minha turma, quando ela sorriu devido a algum comentário feito durante a apresentação do seu trabalho, ou até mesmo como os traços da sua pintura eram tão suaves, e refletia tanta ingenuidade, tanta inocência, por alguma razão aquela jovem mulher despertou em mim uma imensa necessidade de dedicar minhas telas nela.

Sua inocência e ingenuidade era transmitida em sua arte, como também suas raízes africanas. Porém não era o que realmente me intrigava, sua arte era fraca ao meu olhar, faltava vida, faltava experiência, faltava emoções mais fortes do que uma personalidade. Eu poderia e sabia como torna-la mais completa. E foi dessa maneira que a convence em ser a minha musa, porque sem mesmo tê-la pousando para as minhas pinturas tudo que era capaz de desenhar em um mês, desde o instante que a vi, era ela. Seu cabelo crespo, seus lábios, até mesmo como as roupas que ela usava não favoreciam seu corpo. Porém conseguia ver mais que aquilo que estava fora, a expressão de seus olhos, o brilho fraco que neles tinham, que ela insistia em esconder por de trás dos óculos.

Eu a queria ali, para mim, deixando-me torna-la uma arte.

Ali onde ela estava, olhando para mim, quieta, com os seus óculos sobre o colo, com seus cabelos presos, usando uma ganga velha e não muito justa, borrada de tinta, e uma camisola de lã.

Porém minha tê-la estava em branco mesmo após de duas horas olhando para como tudo nela fazia-me querer mais, como fazia-me desejar por mais.

- Poderá fazer-me um favor? – Questionei pousando a paleta, caminhando até ela.

- Claro que sim Professor Edun – responder colocando seus óculos.

- Incomoda-se de remover suas roupas? – Disse com alguns centímetros de distância dela.

A sua expressão não era algo que realmente seria uma surpresa para mim. Ilka era diferente, diferente de todas as estudantes que tinha, era pura.

Sua arte, seu sorrir, até mesmo a maneira de andar mostrava o quão pura ela era, e era isso que eu queria dela, a pureza.
Para mim, para a minha arte. 

You Might Also Like

12 comentários

  1. Olha eu aí, hahahahaha, sinceramente não sei o que faria nessa situação. Algo meio estranho, o que o professor disse sobre o meu trabalho na história são quase exactamente os problemas que encontro nos meus quadros na vida real (Erii tem super puderes)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho nenhum super poder. Culpa a criatividade.
      Beijos

      Eliminar
  2. Gostei muito do capítulo!
    Desculpa não ter vindo ontem ler, não consegui porque o meu pai fez anos e passei o dia com ele.
    Posta logo.

    Bjs :)

    ResponderEliminar
  3. Gostei. A Ilka parece ser muito pura.
    Posta logo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada =D
      É isso que quero que percebam, espero que esteja a fazer de maneira correta.
      Beijos

      Eliminar
  4. Olá Erii! Estás indicada para os FE Awards 2015.
    Post aqui: http://criticasdefanfics.blogspot.pt/2015/07/fe-awards-2015-nomeados_11.html

    Boa sorte!

    ResponderEliminar
  5. Demorei demais a comentar. Desculpa.
    Gostei muito! A Ilka parece ser uma menina bem calma e pura.

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde que voltes eu fico nas nuvens.
      Obrigada, significa muito. É essa mensagem que quero passar mesmo.
      Beijos

      Eliminar
  6. Não sei como nem porquê mas o professor me parece ser pouco de confiança. Quem é o professor que pergunta: incomoda-se de remover suas roupas?
    Posta logo.
    Beijos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podia até fazer um comentário, mas ficarei de bico fechado.
      Beijos

      Eliminar

Seguidores

2015-2016 © Sons da Alma. Com tecnologia do Blogger.